Expomecânica com três pavilhões em 2019

De 3 a 5 de maio, o expoMECÂNICA 2019 reencontrará assim o setor e os seus profissionais ainda maior: acrescida de mais 2.000 m2 de área e um número de expositores que projeta um crescimento de 5%.

Com uma taxa de fidelidade acima dos 80%, neste momento e tomando por bitola a edição decorrida em abril deste ano, não admira que cerca de 76% do espaço expositivo da mais representativa feira de negócios do pós-venda automóvel português esteja já alocado a operadores do sector.

A quase oito meses de distância, o expoMECÂNICA 2019 indicia que se apresentará na Feira Internacional do Porto (em Matosinhos) ainda mais robusta. E os indicadores organizativos disponíveis ao dia de hoje deixam antever a ultrapassagem das últimas marcas.

Com base na «atual condição do mercado e no ambiente empresarial» que a KiKai Eventos, o organizador, sentiu ao sair da 5.ª edição, foi projetado um crescimento de perto de 5% no número de expositores, para a próxima edição.

«Redimensionámos, por isso, o Salão para três pavilhões da EXPONOR, representando um total de 16.000 metros quadrados, isto é, um incremento de 14% de área. Em boa hora o fizemos, porque mais de dois terços da planta da feira já estão adjudicados», refere José Manuel Costa, diretor-geral da KiKai.

«Estes números querem dizer que, chegados aqui, cumprimos 73% da meta que estipulámos para a alocação da área expositiva disponível», secunda Sónia Rodrigues, diretora comercial do evento.

São - para já - 130 os agentes económicos do aftermarket automóvel português com lugar marcado. Mas o acontecimento estima chegar aos 250, distribuídos por cinco segmentos: Peças e Sistemas, Tecnologias de Informação e Gestão, Estações de Serviço e Lavagem, Reparação e Manutenção, e Acessórios e Customização.

O crescimento do expoMECÂNICA conduzirá em 2019 também a um novo degrau na sua setorização. Segundo a planificação feita pela Organização, o Pavilhão 3 da EXPONOR acolherá a oferta relativa aos veículos pesados e de mercadorias, incluindo os reboques e o equipamento agrícola – nichos para os quais estão a ser idealizadas atividades paralelas específicas, na própria feira, destinadas a dinamizar os mercados que lhes correspondem.

«Pretendemos, concludentemente, dar mais dimensão, autonomia e conteúdo a este sub-setor», assegura José Manuel Costa.

Crescimento da feira acompanha o do sector

Segundo o último estudo do Observatório de Comércio de Peças e Acessórios, da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), o negócio do aftermarket em Portugal gerou 1.578 milhões de euros em 2016 (último ano com dados mais completos), número que significa a quarta subida consecutiva na balança comercial do setor, que teve em 2012 o seu pior ano.

O expoMECÂNICA é o polo agregador da atividade e um dos seus momentos altos, pela representatividade e pela quantidade de contactos, de oportunidades e de negócios que canaliza para o funil de vendas das empresas. A feira dá expressão à capacidade operativa que no nosso País dá assistência a quase seis milhões de veículos em circulação (ligeiros e pesados), e é a câmara das mais recentes soluções e inovações para os vários segmentos, que os agentes do aftermarket revelam aos profissionais no próprio palco dos acontecimentos.

O Espaço de Demonstração “Demotec by CEPRA”, o ciclo de conferências “expoTALKS” e o “Plateau TV”, no centro nevrálgico da mostra, permanecerão como núcleos da vertente formativa e informativa do expoMECÂNICA. Mas surgirão com um novo “layout”, «fruto da evolução do próprio evento e dando expressão a uma melhoria de imagem», como explica Sónia Rodrigues.

O programa de manifestações complementares ao Salão de Equipamentos, Serviços e Peças Auto está, pois, igualmente no estirador e contemplará algumas novidades. Uma delas irá inclusivamente ao encontro de uma dificuldade que muito tem afetado a estratégia de muitas empresas do pós-venda automóvel, mas os seus detalhes serão revelados numa próxima oportunidade…

Eventos Pós-venda